Confira 05 clássicos da música que passaram a representar a comunidade LGBTQIA+

A música escreve, muda e marca a história ao longos do tempo. Cria tribos e representa a diversidade, por isso listamos os 05 músicas que passaram de certa forma a representar a comunidade LGBTQIA+ para você conferir.

George Michael – Freedom! ’90

Mesmo antes de ter sua homossexualidade exposta, em 1998, George Michael já era muito querido pela comunidade LGBTQIA+. Seu hit de 1990, “Freedom! ’90”, fala sobre liberdade, e assumir uma nova imagem. É o terceiro single do segundo álbum de estúdio lançado a 3 de Setembro de 1990, “Listen Without Prejudice Vol. 1”.
“Acho que tem algo que você deve saber / (Acho que já é hora de te falar “eu te disse”) / Há algo bem dentro de mim / (Há outra pessoa que tenho que ser)”, diz a letra.

Glória Gaynor – I Am What I Am

Esse grande hino da cantora, “I am What I am” fala sobre aceitação e orgulho de ser quem se é, sem pedir desculpas. Esta canção, inclusive, foi escolhida pelo cantor Cauby Peixoto para, pela primeira vez, em 53 anos de carreira, declarar sua homossexualidade, em um show na extinta boate Le Boy, no Rio de Janeiro. Esse ano foi usado em uma campanha da cerveja Amstel. A música faz parte do álbum “I Am Gloria Gaynor” que é o décimo primeiro álbum de estúdio de da cantora, lançado em 1984 pela Chrysalis Records.
“Eu sou o quê sou / Eu sou minha própria criação exclusiva / Então, venha dar uma olhada / Me dê a forca ou a ovação / É o meu mundo / Daquilo eu quero ter um pouco de orgulho / Meu mundo / E não um lugar que eu tenho que me esconder dentro / A vida não vale nada até que eu possa dizer / Eu sou o quê sou”, diz a letra.

ERASURE – A Little Respect

O vocalista Andy Bell foi um dos primeiros artistas a se declarar abertamente gay. Em seus shows, antes de cantar “A Little Respect”, ele costumava contar uma história. Quando criança, ele vivia perguntando para a mãe se, quando crescesse, poderia ser gay. A mãe respondia que sim, “desde que ele mostrasse um pouco de respeito”. “A Little Respect” faz parte do álbum álbum “The Innocents” de 1988.
“Estou tão apaixonado por você / Eu serei eternamente triste / Que religião ou razão / Pode conduzir um homem a desistir de seu amante? / Dê um pouco de respeito / Para mim”

Cindy Lauper – True Colors

Cindy Lauper sempre foi uma das maiores ativistas da causa LGBT na música. Ainda na década de 1980, quando ainda não era comum artistas se posicionarem a favor destas questões. “True Colors” foi dedicada ao amigo da artista que morreu de AIDS em 1986 e a comunidade LGBTQIA+ fez tanto sucesso, que a cantora batizou a sua fundação sem fins lucrativos que retira das ruas jovens LGBTs com o nome da música, a “True Colors Found”. “True Colors” está incluída no seu segundo álbum solo de estúdio de mesmo nome, lançado em 1986.
“Mostre-me um sorriso, então / Não fique infeliz, não me lembro / Quando foi a última vez que vi você sorrindo / Se este mundo te deixa louca / E você aguentou tudo que consegue tolerar / Me chame / Porque você sabe que estarei lá”, diz a letra.

Macklemore & Ryan Lewis – Same Love

A letra desta música é uma preciosidade no universo musical. Poucas canções conseguem te atingir direto no coração da mesma forma que esta faz. A faixa “Same Love” fez parte tanto do lançamento do primeiro álbum do rapper Macklemore como trouxe a já citada Mary Lambert para o mercado comercial. Além de ter recebido o prêmio na categoria de Mensagem Social no VMA 2013, a música também fez parte da campanha para o referendo do “Washington Referendum 74”, que permitiu a união entre pessoas do mesmo sexo em Washington. “Same Love” faz parte do álbum  The Heist lançado em 2012.
“E eu não posso mudar / Mesmo se tentasse / Mesmo se quisesse / Meu amor”, diz a letra.

Tem alguma sugestão de música que fala ou represente a comunidade LGBTQIA+? Comenta com a gente aqui em baixo nos comentários.