Ghostbusters – Mais Além: a volta do clássico no cinema e na música

Atenção, esse artigo contém pequenos spoilers sobre o filme.

Falar de filmes sobre fantasmas hoje em dia chama a atenção até daqueles que não são muito chegados ao modelo, e Ghostbusters é um grande exemplo disso. Assim, o novo filme lançado em 2021 pode ser quase um renascimento.

Isso porquê desde 1984 quando o filme foi lançado pela primeira vez, até hoje parecem não ter acertado a mão das continuações e/o reboots. Por conta disso, o novo Ghostbusters entiluado de “Mais Além” traz um pouco de esperança aos fãs.

 

A história de Caça-Fantasmas nos cinemas

Em 1984 chegava aos cinemas mundiais o primeiro filme da franquia de caça-fantasmas, com Bill Murray de protagonista da obra. Na época a direção era de Ivan Reitman.

 

Desde o início, chegamos aos 3 protagonistas: Peter Venkman, Ray Stantz e Egon Spengler, cientistas da faculdade de Columbia. Assim, o foco principal do trio é estudar sobre casos paranormais.

 

Ao final do período de experimentos, é Peter quem dá a ideia dos três se juntarem e começarem um empreendimento, chamado de Ghostbusters. Para tanto, a ideia era que o local focasse em caçar fantasmas.

 

Dana Barrett é a personagem responsável por dar o start no negócio – e também nos lucros – da nova empresa, e é ai que se inicia toda a história que conhecemos hoje. Com isso, anos se passaram e a franquia ganhou novos filmes e novas readaptações.

 

A sequência foi lançada em 1989, ou seja, 5 anos desde o primeiro lançado. Por conta disso, muito se fala até hoje de todas as problemáticas envolvendo a sequência que quase não saiu do papel.

 

Uma das grandes polêmicas do longa foi exposta pelo próprio Bill Muray, ao afirmar esse ano que na época ninguém sabia que aquele seria o roteiro. Afinal, eles aviam assinado contratos para um filme completamente diferente do apresentado.

 

E no meio de tantas questões, acabou resvalando na aceitação do público. Pois, no final das contas, a sequência da aclamada franquia não foi nem de perto bem recebida.

 

Nesse sentido, a continuação começou a entrar em pauta por aqueles que achavam que não tinha mais jeito, e aqueles que queria uma sobrevida. Assim, quase 30 anos depois e com diversos reboots, desenhos animados e séries, chegou ao cinema a tão aguardada parte 3 dessa história.

 

E agora sim, podemos falar de Ghostbusters – Mais Além.

 

Ghostbusters – Mais além é um renascimento para a franquia?

Essa talvez seja a grande pergunta da grande maioria dos fãs da franquia, e ao que tudo indica a resposta é animadora. Afinal, Mais Além estreou com uma ótima recepção do público.

 

Com um elenco de protagonista contando com Finn WolfhardMcKenna GraceCeleste O ‘Connor e Logan Kim, o filme conseguiu trazer nostalgia e animação aos fãs. Por conta disso, toda aquela animação por mais parece ter voltado a tona.

 

Sabendo combinar em dose perfeita as referências ao filme original de 84 com gatilhos para novas histórias futuras, o longa parece ter reconquistado o que perdeu no decorrer dos últimos anos. Além disso, ao que tudo indica, um dos grandes sucessos foi exatamente o quarteto escolhido.

 

Unindo uma gama de atores jovens e já premiados no mundo, Ghostbusters retorna ao cinema com a sensação de dever cumprido. Além disso, podemos ver alguns significados interessantes.

 

O filme é todo baseado na história de uma mãe que se muda para o interior com os filhos, onde acaba descobrindo que seu avô era ninguém menos que um dos integrantes da antiga Ghostbusters. Assim, a família passa a viver dias conturbados.

 

Alguns acontecimentos sem explicação começam a rondar a rotina da família desde o momento em que eles decidem mexer e olhar nos objetos deixados pelo avô. Assim, a trama leva os protagonista a reativar a antiga tradição de caça-fantasmas.

 

Uma curiosidade sobre o longa está nessa “passagem de bastão” do avô para os descendentes da família na função de comandar a Ghostbusters. Isso porquê a passagem de bastão não ocorreu apenas na telinha.

 

A direção do filme é de Jason Reitman, sim, você leu esse mesmo sobrenome nos primeiros parágrafos desse artigo. Sendo assim, a passagem de bastão ocorreu por trás das telas, já que Jason é filho de Ivan Reitman, o responsável pela explosão dos primeiros filmes da franquia.

 

A relação com o clássico de Ray Parker Jr.

Ghostbusters - Mais Além: a volta do clássico no cinema e na música

 

Dando nome ao novo filme da franquia, a música Ghostbusters de Ray Parker Jr é o tema principal do longa. Assim, chegou junto ao primeiro filme, em 1984.

 

A música fez tanto sucesso que passou quase um mês no top 100 da Billboard, uma das mais famosas do mundo. Dessa forma, até hoje a música embala os fãs e amantes da franquia.

 

O que algumas pessoas não sabem, é que a letra foi composta exclusivamente para o filme, e os diretores exigiram que a palavra Ghostbusters aparecesse na música. Além disso, foi o próprio cantor quem dirigiu o clipe final e oficial que conhecemos hoje.

 

Uma das grandes consagrações da música sem dúvidas foi trazer um tema pouco falado para a boca do público. E, não só para reconhecimento do filme, mas a própria música destoou em sucessos pelo mundo.

 

O principal foi a quantidade de covers, releituras e versões que a música recebeu após o lançamento. Entretanto, acabou não ganhando o prêmio máximo, o Oscar, apenas por uma questão de concorrência da época.

Até hoje Ghostbusters é considerada um dos grandes clássicos da música, do cinema, e claro, da franquia. Mesmo depois de 30 anos, a música voltou a tona e está novamente sendo muito bem tocada, para celebrar a continuação dos filmes.

 

É fã de Ray Parker Jr? Curte caça-fantasmas? Peça Ghostbusters na nossa rádio e ajude a divulgar seus artistas preferidos. Assim, ela pode entrar no ranking das mais pedidas. Clique aqui.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *