Acadêmicos de Milton Friedman, inovação musical no horizonte

Por: Alana de Oliveira Mello

Quem conhece os Acadêmicos de Milton Friedman já está acostumado com as letras divertidas e temáticas inusitadas das canções, mas o que muitos talvez não esperassem, logo que conheceram a banda, é que eles vem se revelando, cada vez mais, artistas diferenciados e extremamente competentes no que fazem. Começando com vídeos caseiros feitos sem nenhum cuidado de produção, há pouco mais de uma semana a dupla formada pelo pianista João Nogueira e pelo guitarrista Jopa Velozo, resolveu mudar tudo para mostrar do que realmente é capaz e acaba de lançar seu primeiro álbum DARE TO TASTE LIBER TEA.

Além das tradicionais letras humorísticas, o disco demonstra uma musicalidade ímpar, unindo elementos da música americana, com influências de rock, blues, funk e hip-hop ao som brasileiro do samba e da bossa nova. Embora isso possa soar como algo que já foi feito antes, a abordagem da dupla é bem diferente de outros artistas que se propuseram a fazer tais mesclas. O som dos Acadêmicos de Milton Friedman tem uma leveza mais próxima do samba jazz, algo que costuma fugir de vista de outros artistas que se esforçam em desbravar este campo da música, ao mesmo tempo em que também tem momentos bem mais próximos do rock e de uma visão psicodélica da música.

Acadêmicos de Milton Friedman

San Bastiat é a canção que abre o disco de maneira suave, com um ar de bossa nova, bem para trás, sem pressa alguma e se desenvolve até a sessão final, onde cresce bastante e ganha um swingue mais intenso, enquanto isso os Acadêmicos descrevem os problemas de um país onde todos passam a ser dependentes uns dos outros através da interferência dos políticos na sociedade.

A segunda, Ruiz Eleuterio, usa o rap para contar a história de Eleuterio, um sujeito que passa sua vida batalhando para melhorar suas condições de vida, mas sempre encontra obstáculos na burocracia e na legislação governamental, sendo sempre impedido de concretizar seus planos e objetivos. O final da letra conclui toda a questão “se nessa vida há algum ditado que valha é o que diz que muito ajuda quem não atrapalha”. Um letra bem divertida, com ares de Gabriel, o Pensador, mas com um instrumental de samba jazz rápido, que contrasta com um refrão mais rock em que eles gritam o nome do herói da canção “Eleuterio!”.

Provavelmente a canção com um ar mais fanfarrão, Privada Presidencial é uma canção curta, com uma letra bastante escrachada e até mesmo mais vazia de conteúdo real, mas que é compensada pelo som que combina com a letra, divertido, animado, porém também tem elementos instrumentais bem interessantes em seus versos, com linhas que soam algo entre o jazz e o rock.

Good Intentions é a quarta canção e provavelmente a que soa mais séria no disco. Musicalmente é extremamente cativante e conta com a participação especial do cantor americano Chris Kazarian, fazendo o papel do rapper MC Professor Will, que foi criado inspirado no economista americano, professor Walter Williams. A canção é uma homenagem ao documentário homônimo e trata de políticas públicas que são criadas com objetivos benevolentes, mas que acabam causando danos à sociedade. Chris Kazarian surpreende no papel, especialmente ao final da canção, quando solta realmente a voz e mostra ser um talento que devemos manter em vista, seguindo seus trabalhos pessoais, com a banda antiga banda The Frotations e, agora, em carreira solo, que se mantendo ativa no nordeste dos Estados Unidos.

Para fechar o disco, os Acadêmicos abandonam completamente o samba e a bossa nova e partem para uma canção pesada e de ar mais sombrio, chamada Señorito Satisfecho. Mais uma vez, o refrão é marcante, e as letras são impactantes e também não podemos deixar de destacar o ótimo trabalho do tecladista João Nogueira, que emplaca suas linhas sofisticadas, mas diretas e marcantes nos arranjos.

O resultado de tudo isto é que DARE TO TASTE LIBER TEA pode ser considerado um disco bem diferente do que encontramos por aí, com uma sonoridade única e também com letras inusitadas. Os Acadêmicos provam que, definitivamente merecem atenção de todos que buscam conhecer artistas únicos, capazes de unirem humor com ótimas letras e uma musicalidade marcante e cheia de personalidade. Não deixe de conferir o disco, que já se encontra em todas as principais plataformas de música virtuais, como Spotify, Deezes, iTunes store e Google Play.