Você sabe quem são os compositores de “Alô Alô Marciano” música imortalizada por Elis Regina?

Na história da música conhecemos diversidades imensas de gêneros e canções que marcaram o tempo e foram imortalizadas por algum interprete que emprestou sua voz, sua autenticidade e sua marca como artista, tornando o trabalho digno se ser inesquecível. É o caso da música “Alô Alô Marciano“, um hino da música brasileira que recebeu a impressão de um dos mais brilhantes nomes da nossa cultura, ela, Elis Regina.

É inevitável ouvir esta canção e não materializar em nossas mentes a imagem de Elis entregando-se em deslumbrante interpretação em um tom debochado ao cantar a “high society” brasileira da época.

Mas você sabe quem escreve esta música? É muito comum confundirmos a propriedade intelectual, ou seja, em linhas retas, o dono da letra com o interprete, se referindo ao nosso tema, sempre dizemos “aquela música é da Elis Regina”, mas de fato não é. Embora ela tenha se apropriado de forma a canção e o artistas serem apenas uma única coisa, está música foi escrita por Rita Lee e Roberto de Carvalho. O interessante é que foi a pedido de Elis que pediu para que o casal compusesse uma música com a personalidade deles. Agora temos uma “tríplice coroa”, uma canção, apropriada pelo talento de Elis e com a personalidade de Rita e Roberto. Poético, mas é o que a história da música me inspira agora.

“No fundo no fundo, por maior que seja o curso universitário de um cantor, ele não deixa de ser um ator que usa como instrumento pra se colocar perante o público, a voz”. Elis Regina em entrevista ao programa de televisão Jogo da Verdade, em Janeiro de 1982.

Alô Alô Marciano” está presente no álbum “Saudade do Brasil” lançado em 1980 pela WEA, além desta canção, a obra conta com 2 discos sendo cada um com 10 músicas, incluindo os clássicos “Maria, Maria” de Milton Nascimento e Fernando Brant, e “Canção da América” também do Milton.

 

São 37 anos que gerações e gerações tem o prazer de ouvir esta preciosidade concebida por aristas espetaculares que até hoje colocam a música brasileira entre as mais admiradas e consumida no mundo todo. A rainha do rock brasileiro, Rita Lee, fez uma versão muito legal da canção em 1991 para o álbum “Rita Lee em Bossa ‘n’ Roll”, disco ao vivo que marcou  o fim da parceria musical entre ela e Roberto de Carvalho.

 

Acredito que valha sempre apena o exercício de analisar os bastidores da criação musical, assim como o talentoso Ruy Godinho tem feito em seu magistral trabalho chamado “Então, Foi Assim? Os bastidores da criação musical brasileira” com três incríveis livros além de programas de rádio que trazem as histórias dos próprios autores sobre suas criações. Vale conferir!