Inspiração

A maioria das pessoas acredita que para dar o primeiro passo em busca de uma colocação no trabalho voluntario, tem que ter uma inspiração, alguns vão mais longe e dizem que há a necessidade de ter uma inspiração divina.

Acho um pouco demais, com todo o respeito às crenças individuais, mas voluntariado é muito mais racional do que emocional, olhamos para o lado, percebemos a necessidade, olhamos para nós, percebemos que podemos fazer algo, vamos lá e fazemos. Simples, rápido e prático, sem muitas elucubrações e chamamentos.

Sim existem os que são tocados de forma diferenciada para uma prática, e existem práticas que só pessoas muito inspiradas para realizarem, como o trabalho em penitenciárias, admiro e respeito muito as que fazem esta atividade, nos manicômios, tão necessário e realizado por uma parcela pequena, mas importante de voluntários.

Mas quero mais uma vez chamar a atenção para que não fiquemos paralisados esperando um chamamento, pois as oportunidades para exercer um trabalho voluntario que faça bem a você e ao próximo estao mais perto do que você imagina.

Busque na sua rua, igreja ou templo, bairro, clube, escola, prefeitura, cidade, amigos etc., tenho certeza que quando começar a falar de seu interesse um trabalho virá até você. Assim o chamamento podemos dizer que será invertido, voe fara um chamamento para ajuda, afinal de contas um dos principais beneficiados da prática voluntaria é você, portanto é o maior interessado na ação.

Grande parte dos trabalhos oferecidos estao muito próximo as pessoas, pois sempre ouvimos aquelas frases: “nossa como nunca percebi que aqui havia uma organização”.

Certamente você se tornará uma pessoa muito mais interessante, a partir do momento que se interessar, é a regra da reciprocidade, eu me ofereço, para ter, doar para receber. Todas as crenças de alguma forma fazem este lema valer. E para os que não tem crença? Acredite em você, que você, seu tempo e talento, pode fazer a diferença na vida de muita gente e seja feliz.

Roberto Ravagnani

Construindo Cidadania O autor é Roberto Ravagnani, palestrante, jornalista (MTB 0084753/SP), radialista (DRT 22.201), conteudista e Consultor de voluntariado e responsabilidade social empresarial. Voluntário palhaço hospitalar desde 2000, fundador da ONG Canto Cidadão, Associado para o voluntariado da GIA Consultores no Chile, fundador da Aliança Palhaços Pelo Mundo, Conselheiro Diretor da Rede Filantropia, sócio da empresa de consultoria Comunidea e Membro Engage for business. www.robertoravagnani.com.br