Concorrentes ou não?

Uma pergunta que no meu ponto de vista não cabe dentro do terceiro setor em algumas outras áreas de nossa vida, mas vou me restringir ao setor social, das organizações sociais ou como são chamadas hoje das organizações da sociedade civil – OSC’s.
Concorrência no bom linguajar do mundo capitalista ou do economês é quando você precisa ser melhor que o outro em alguma coisa, preço, atendimento, qualidade, ter um diferencial para ganhar do outro na venda.
Segundo o Dicionário ON line de Português – Competição; ação de competir com outra pessoa a prioridade sobre alguma coisa.[Economia] Circunstância em que há várias ofertas competindo umas com as outras.[Comércio] Disputa entre produtores e comerciantes pelo comércio de um produto.[Comércio] Conjunto das pessoas que concorrem, que disputam o mercado; os produtores, comerciantes, empresas, mercados etc.[Comércio] Levantamento de preços para compra e venda de serviços e/ou materiais. Concordância; ação ou resultado de pensar e de se comportar, visando um mesmo objetivo: concorrência de metas. Excesso de pessoas que comparecem ao mesmo tempo, num mesmo local: a festa teve muita concorrência. Etimologia (origem da palavra concorrência). Concorrer + ência.
No terceiro setor, pelo menos foi assim que entendi quando decidi entrar para este setor, as pessoas lutam por uma única causa: A melhora do ser humano e do planeta onde escolhemos viver. Portanto se temos causa única, por que alguns desses seres humanos insistem em tentar concorrer com outros?
Com esta concorrência colocam em risco todo o alcançado em diversos anos de trabalho árduo para fazer deste setor, o terceiro, um lugar melhor para se trabalhar, pois trabalhamos dando asas a nossa criatividade, nossa vontade de apoiar, ajudar, criar, melhorar o mundo em que vivemos e que me algum tamanho e modo ajudamos a torna-lo da forma que é hoje. Aqui não me refiro a nós pessoas, mas sim a nossa espécie.
Creio que já passou da hora de todos que de alguma forma lidam com trabalhos sociais perceberem isso e realizarem sua lição de casa, parar de concorrer e sim fazer de tal forma que possamos criar sinergia entre nossas pequenas causas para fazer uma grande causa florescer, do ser humano melhor.

Avatar

Roberto Ravagnani

Construindo Cidadania O autor é Roberto Ravagnani, palestrante, jornalista (MTB 0084753/SP), radialista (DRT 22.201), conteudista e Consultor de voluntariado e responsabilidade social empresarial. Voluntário palhaço hospitalar desde 2000, fundador da ONG Canto Cidadão, Associado para o voluntariado da GIA Consultores no Chile, fundador da Aliança Palhaços Pelo Mundo, Conselheiro Diretor da Rede Filantropia, sócio da empresa de consultoria Comunidea e Membro Engage for business. www.robertoravagnani.com.br