Banda Dônica abre o Rock in Rio 2015 com boa música e personalidade

Personalidade e musicalidade, estas são duas palavras que para mim resumem a apresentação da banda Dônica em sua estreia no Rock in Rio 2015.

A banda recebeu a fantástica incumbência de abrir o evento no Brasil em sua sexta edição, ao qual se comemora 30 anos desde sua primeira realização.

Formada pelo vocalista e pianista José Ibarra, pelo baixista Miguel Guimarães, pelo baterista André Almeida, pelo guitarrista Lucas Nunes e por Tom Veloso,

Dônica (Foto: Fernando Young/Divulgação)
Dônica (Foto: Fernando Young/Divulgação)

filho de Caetano Veloso, a banda mostrou em sua apresentação que apesar de suas influências, o que não foge aos modos gerais, possui total personalidade, mostrando segurança mesmo diante de um público minguado. O som que vinha do palco não me soava amador, e nem um pouco! O que podíamos ver era uma sonoridade esplendida, bem feita, em grande estilo e harmônica, o que mostrou sem dúvidas que a banda veio para ficar e fazer parte da história da música nacional.

O grupo tocou no Palco Sunset e ainda, como se não bastasse toda pressão, ainda teve como convidado o músico Arthur Verocai.

Em junho a banda lançou seu primeiro disco “Continuidade dos parques”, álbum com 11 faixas incluindo uma com participação de Milton Nascimento em “Pintor”.

Como mencionei em relação às influências naturais, ouvimos uma forte essência da música progressiva dos anos 60 e 70, algo como “Clube da Esquina”.

É sempre bom descobrir novos talentos, especialmente revivendo gêneros que mudaram a forma de fazer música, não apenas no Brasil, mas no mundo.

E sabe o que é ainda mais legal? Os caras são “novinhos”, o guitarrista Lucas Nunes, por exemplo, tem 17 anos. Portanto, ainda tem muita coisa por vir ainda e muitos Rock In Rio para tocar.

Setlist do show:

1 – Inverno
2 – Casa 180
3 – Pintor
4 – Carrossel
5 – Retorno para Cotagipe
6 – Praga
7 – Ordem e progresso
8 – Na boca do sol (com Arthur Verocai)
9 – Macaco no Caiaque
10 – Dedicada a ela
12 – Bicho burro

Vale muito a pena conferir! Ouça o álbum “Continuidade dos parques” abaixo: